GERAL

13 de março de 2018
Rally Minas Gerais: terreno liso igual sabão

O piloto Elias Campideli Folly administrou o resultado e sagrou-se campeão

 

Foi dado o sinal verde para a temporada 2018 dos campeonatos Brasileiro de Rally Cross Country e Rally Baja. São Pedro abusou da chuva e os competidores tiveram uma disputa no estilo “patinação no gelo”

 

E a cidade de Conceição do Mato Dentro, MG, mostrou porque é a capital do ecoturismo mineiro. Além de todo o potencial turístico que possui, a população acolheu a caravana do Rally Minas Brasil com muito respeito, carinho e admiração durante os dias 09, 10 e 11 de março. Com participantes vindos de diversos lugares do País e circulando pelas ruas conceicionenses, o evento mudou a rotina do município e, claro, estimulou a economia local.

Organizado pela Rallymakers, o Rally Minas Brasil abriu a temporada 2018 dos campeonatos Brasileiro de Rally Cross Country, Brasileiro de Rally Baja e Mineiro de Rally. Com um grid formado por 93 motos, quadriciclos, UTVs e carros, foram dois dias de disputas que desafiaram a capacidade de homens e máquinas.

Marcado por terrenos extremamente lisos, controlar os veículos e mantê-los no curso foi uma missão quase que impossível. Com pouca aderência entre pneu e terreno, os pilotos precisaram mais do que braço e experiência… Foi preciso coragem para acelerar e executar manobras. Teve quem adotou uma tocada mais conservadora, e teve aqueles que arriscaram mais.

Mais um dia encarando o sabão

No domingo, às 8h, o Rally Minas Brasil foi retomado para um trecho cronometrado de 75 quilômetros. Pilotos e navegadores estavam prontos e dispostos a vencer – ainda que lutar pelo pódio em um terreno totalmente escorregadio, seria uma experiência extremamente alucinante. Mas, quem que participa do rali não busca por momentos de muita aventura e adrenalina?

Com foco no pódio e conscientes da competitividade, nas motos a disputa manteve-se parelha. Com diferença de apenas 17 segundos, o piloto Rubens Neiton venceu o dia (01h31min34s), seguido por Elias Campideli Folly (01h31min51s). Em terceiro lugar ficou Kelder Campos (01h32min46s).

Entre os quadriciclos, o piloto Richard Amaral fez o melhor tempo (01h29min03s), inclusive, superando os competidores da categoria motos. Já seu concorrente direto, o piloto Geison Pinheiro Belmont, teve pane seca e não concluiu o trecho cronometrado.

Nos UTVs, novamente se observou os competidores com a “faca nos dentes”. Destemidos, eles aceleraram fundo e fizeram uma disputa “pau a pau” até cruzar a linha de chegada. No resultado do dia, o mais veloz foi o piloto Bruno Varela (01h23min02) – 38 segundos à frente do piloto Guilherme Cysne (1h23min41s), que ficou tecnicamente empatado com o piloto Rodrigo Varela (01h23min41s).

Os carros foram os últimos a largar para a especial de 75 quilômetros, e eles literalmente, fizeram uma aula de “patinação” e passaram com nota 10. A dupla Marco Baumgart e Kleber Cincea foi a melhor da etapa, com o tempo de 01h30min10s. Eles foram seguidos por André Miranda e Cadu Sachs (01h32min14s), e Marcos Moraes e Fábio Pedroso (01h32min29s), nas segunda e terceira colocações, respectivamente.

Quando o rali é bom, a briga é boa e apertada

Técnico e desafiador, o Rally Minas Brasil mostrou ao País a competência de seus organizadores e a qualidade técnica e a coragem de todos os inscritos no evento. No total foram cumpridos 231 quilômetros, que passaram pelas localidades de Itacolomi, Ouro Fino, Córregos, Santo Antônio do Cruzeiro, Tapera e Congonhas do Norte. A cada metro um desafio diferente pelas montanhas de Minas Gerais: erosões, trial, subidas e descidas íngremes pelas serras que descortinavam uma paisagem incrível. Ainda que na maior parte do roteiro o terreno estivesse escorregadio, houve momentos de grip bom, onde os off-roaders aproveitaram para recuperar tempo.

O piloto Elias Campideli Folly foi o grande campeão e, no resultado acumulado, fez a marca de 4h53min54s. No segundo lugar do pódio, veio Rubens Neiton (04h57min37s), empatado com Kelder Campos (04h57min37s), em terceiro. “Quero agradecer a Deus por essa vitória, principalmente, porque a etapa deste domingo foi bem complicada, com chão muito liso. Choveu demais nesta noite, e isso dificultou ainda mais a nossa performance. Mas como eu liderava, fiz uma leitura rápida do piso e fiquei concentrado para não cometer erros”, contou Folly.

Nos quadriciclos, o piloto Geison Pinheiro Belmont soube contornar os problemas enfrentados, e subiu no primeiro lugar do pódio (11h20min19s), com Richard Amaral, na segunda posição (13h09min03s).

A classificação geral da categoria UTVs continuou bem apertada e, novamente, segundos separaram os primeiros colocados. Mas, quem cantou a vitória do Rally Minas Brasil foi o piloto Rodrigo Varela, com vantagem de apenas 22 segundos (04h29min24s). O vice-campeão foi Cristiano Batista (4h29min47s), e Bruno Varela ocupou a terceira posição (4h30min36s). “O piso foi bom para acelerar, sendo que em algumas partes estava bem escorregadio, então, poupei o equipamento para não sair da trajetória da trilha. Estou contente por ter competido em Minas Gerais, o visual é incrível, público presente… Enfim! Foi sensacional”, declarou Rodrigo.

E, para fechar o Rally Minas Brasil com chave de ouro, nos Carros, a dupla Marcos Baumgart e Kleber Cincea – que guiou a Ford Ranger (picape sensação da temporada 2018), foi a grande vencedora, na marca de 04h56min19s. Com quase três minutos atrás, vieram Marcos Moraes e Fábio Pedroso (04h59min26s), e em terceiro, André Miranda e Cadu Sachs (05h03min42s). “Estamos bem satisfeitos com o resultado da equipe. Todos trabalharam muito para a preparação deste novo carro”, concluiu o piloto.

No encerramento do Rally Minas Brasil, o Prefeito de Conceição do Mato Dentro, José Fernando Aparecido de Oliveira, esteve presente e agradeceu a vinda do evento à região. “Foi um trabalho incrível realizado no nosso município. Nós demos total apoio à Rallymakers, para que a competição fosse impecável e todos os envolvidos tivessem uma boa impressão de nós e, futuramente, retornem para cá. Depois de 11 anos, é uma honra ser a porta que abre para o retorno deste esporte em Minas Gerais”, encerrou.

 

Classificação – Rally Minas Brasil

Segunda etapa

 

Categoria Motos

1º Rubens Neiton, 01h31min34s

2º Elias Campideli Folly, 01h31min51s

3º Kelder Campos, 01h32min46s

4º Marco Antonio Pereira, 01h36min41s

5º Francine Rossi, 01h36min42s

 

Categoria Quadriciclos

1º Richard Amaral, 01h29min03s

2º Geison Pinheiro Belmont, 07h40min00s

 

Categoria UTVs 

1º Bruno Varela, 01h23min02s

2º Guilherme Cysne, 01h23min41s

3º Rodrigo Varela, 01h23min41s

4º Daniel Costa, 01h23min42s

5º Cristiano Batista, 01h23min45s

 

Categoria Carros

1º Marcos Baumgart e Kleber Cincea, 01h30min10s

2º André Miranda e Cadu Sachs, 01h32min14s

3º Marcos Moraes e Fábio Pedroso, 01h32min29s

4º Luiz Carlos Nacif e Neurivan Calado, 01h37min36s

5º Paulo Roberto de Goes e Gustavo Schmidt, 01h41min06s

 

Classificação final – Rally Minas Brasil

 

Categoria Motos

1º Elias Campideli Folly, 04h53min54s

2º Rubens Neiton, 04h57min37s

3º Kelder Campos, 04h57min37s

4º Francine Rossi, 04h58min53s

5º Marco Antonio Pereira, 05h04min53s

Categoria Quadriciclos

1º Geison Pinheiro Belmont, 11h20min19s

2º Richard Amaral, 13h09min03s

Categoria UTVs

1º Rodrigo Varela, 04h29min24s

2º Cristiano Batista, 04h29min47s

3º Bruno Varela, 04h30min36s

4º Daniel Costa, 04h31min09

5º André Hort, 04h31min22s

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação