GERAL

14 de dezembro de 2021
Pole no Mundial de Kart gera ‘presente’ para promessa do automobilismo brasileiro

Gabriel Gomez, que conseguiu melhor posição de largada para as baterias classificatórias do Mundial de Kart na categoria OK terá treinamento intensivo na equipe W2 e ganhou teste para Light

 

Por mais bem-sucedida que seja a carreira de um jovem piloto no kart, o passo seguinte, para os carros, se torna bem complexa em 9 de 10 casos. É um dos momentos cruciais em que o lado financeiro pode minar os sonhos – e frustrar – as pretensões de grandes promessas.

No Brasil, algumas medidas estão sendo tomadas, como a chegada da Fórmula 4, que contará com estrutura semelhante aos campeonatos europeus e com o custo acessível. Mas, o caminho para competições de turismo, que tem a Stock Car como grande objetivo, também tem ensaiado algumas mudanças.

Quem pode dizer melhor sobre isso é o piloto Gabriel Gomez, de 15 anos, nascido em Florianópolis. Ele surpreendeu o mundo ao conseguir a pole position para as baterias classificatórias do Mundial de Kart na categoria OK, contando com equipamento predominantemente nacional.

O próximo passo de Gabriel será os carros, mas essa passagem tende a ser aos poucos, apoiada por uma das equipes mais importantes do automobilismo brasileiro. A W2 terá o jovem piloto acompanhando todo o processo que uma equipe de Stock Light passa, até ele finalmente poder ter mais oportunidades nos carros.

Perguntado sobre 2022, Gabriel revela que ainda vai dedicar bom tempo ao kart, mas já colocando um dos pés nos carros.

“Eu tenho o projeto de continuar correndo no kart”, disse Gabriel. “Mas já me aproximando com os carros, sendo piloto de desenvolvimento da equipe W2, para adquirir mais experiência, fazer testes, estar presente nas corridas, me preparando para o pulo definitivo nos carros.”

Como primeira experiência, ele esteve neste fim de semana em Interlagos, onde viu seu novo time se dar bem com Rapha Reis e Matheus Iorio.

“Foi muito bacana acompanhar a final da Stock Light junto com a equipe, no rádio, estar com eles na preparação dos carros, dos pilotos, da estratégia, isso para mim já é uma baita experiência, vendo como é um fim de semana de corrida, para me aprimorar e já chegar preparado para os carros.”

Serafim Junior, chefe da escuderia, que também briga por título no TCR South America, contou como surgiu a ideia da chegada de Gabriel e revelou o ‘presente’ que ele e o piloto ganharam da Vicar, organizadora da Stock Light.

“O projeto com o Gabriel surgiu com o apoio do Dennis Dirani, que trabalha conosco há quatro anos. No final do ano passado, tivemos a ideia de trazer o Gabriel próximo da gente, e surgiu a ideia de começar uma preparação de pilotos, para aquele menino não chegar no mundo dos carros totalmente perdido.”

“É claro que, neste primeiro momento, não pensamos em treino, até porque a categoria não permite você treinar. Na pandemia, ficamos de mãos atadas, mas após a pole no Mundial de kart, a W2 e a Vicar vão disponibilizar um treino de Stock Light para ele, vamos ver se conseguimos neste final de ano, que está um pouco apertado. Caso não dê, certamente no início de 2022. Será um treino como presente da pole no Mundial de Kart.”

 

Fonte: Motorsport