DESTAQUES

9 de janeiro de 2020
Motovelocidade: campeões da temporada 2019

Com a realização da quinta etapa do brasileiro, e sexta etapa do Goiás Superbike no autódromo de Goiânia, os motovelocistas encerraram a temporada 2019 de motovelocidade.

Com praticamente todos os títulos decididos antecipadamente, a maior expectativa era na categoria 300cc, onde Matheus Barbosa e Caique Menezes, lutaram pelo caneco desde a primeira etapa, se revezando nas vitórias. Como não poderia deixar de ser, o duelo rolou até que um problema na pastilha do freio do Matheus travou a roda dianteira e o levou a queda. Caique ficou com a vitória na corrida e o título da temporada. Merecido, um campeonato suado e muito bem construído com três vitórias e dois segundos lugares, nas cinco etapas disputadas.
Na 600cc, o pole-position Sergio Laurentys, liderou apenas uma volta e meia e o motor quebrou o obrigando a abandonar a prova. Toninho Franzen que precisava apenas largar para ser proclamado campeão, acabou vencendo, confirmando o título com três vitórias e o vice-campeonato para Michel Velludo, que ainda em recuperação do acidente sofrido nos treinos, não correu.
Na principal categoria 1000cc, Danilo Lewis foi campeão chegando em quarto. Sem vencer pela primeira vez no ano, Danilo sofreu com um problema inusitado durante a corrida. O guidão da moto quebrou! A vitória ficou com o veloz local Kioman Navarro. Sem adversário á altura do seu talento e único piloto profissional no grid, Danilo Lewis correu solitariamente lá na frente e procurou motivação batendo seus melhores tempos.
Durante o ano, foi bacana assistir a evolução e o trabalho da Center Moto Racing Team – Argamil/Saga/CH Barra – na preparação da Suzuki GSX 1000 RR, única motocicleta “do ano” no grid. Mesmo que a equipe ainda tenha muito o que desenvolver e espero continuar podendo acompanhar, ví e relatei o trato no afinamento da ciclística e o melhor mapeamento da potência, entre outros pequenos detalhes que vão se transformando em voltas mais rápidas ou décimos a menos.
Escrevi aqui mesmo, no início da temporada, que esse campeonato servia mais para manter viva a categoria, correndo junto com as etapas do estadual e pontuando separadamente, sem promotor e sem patrocínios. Foi muito mais que isso. Foi vibrante, foi emocionante assistir os pegas e duelos que transformaram pilotos em heróis das pistas, corajosos cavaleiros e suas espetaculares máquinas voadoras rabiscando o asfalto.
O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – CBM – sobreviveu e vai realizar a terceira temporada em 2020. Por fim, os motovelocistas querem saber que grande e respeitada empresa é essa que vai confirmar o patrocínio do próximo campeonato.
Por: Marcelo Moreira, fotógrafo especializado em esportes a motor e faz parte do Center Moto Racing Team.