GERAL

31 de julho de 2020
MotoGP cancela etapas da Argentina, Tailândia e Malásia e deve acrescentar Portugal ao calendário

Anúncio da volta do GP de Portugal deve acontecer em 10 de agosto

Programado inicialmente para ser a temporada mais longa da história da MotoGP, com 20 etapas, a categoria terá que se contentar com apenas 14 corridas ao longo do ano. A Dorna confirmou nesta sexta o cancelamento das provas restantes, na Argentina, Malásia e Tailândia, mas deve acrescentar Portugal ao cronograma.

A proposta inicial do calendário era iniciar no Catar, em março, terminando em Valência em novembro, com provas na América, Europa, Ásia e Oceania no caminho.

Porém, a pandemia da Covid-19 forçou o cancelamento da etapa de abertura no Catar para a MotoGP, enquanto Moto2 e Moto3 puderam correr já que estavam no local. Nas semanas seguintes, mais provas foram sendo adiadas ou canceladas.

Em junho, a categoria anunciou um calendário provisório de 13 corridas, começando em julho com duas etapas em Jerez e finalizando em novembro com uma rodada dupla em Valência.

Mas a Dorna havia deixado espaço no calendário para quatro provas fora da Europa que não haviam sido canceladas: Américas, Argentina, Tailândia e Malásia. A prova de Austin foi a primeira a ser cancelada e agora a categoria confirmou o cancelamento das demais.

Porém, a Tailândia recebeu uma extensão contratual até 2026.

Segundo apurado pelo Autosport, uma prova nova prova na Europa deve ser acrescentada ao calendário em 10 de agosto, com o retorno do GP de Portugal em Portimão como a nova etapa final da temporada.

Com isso, a temporada 2020 se estenderia em uma semana, para 22 de novembro, no lugar de 15 de novembro, data originalmente programada. Portimão é o circuito reserva oficial da MotoGP, e deve estar presente nos calendários futuros da MotoGP, alternando com Valência como o final da temporada.

A notícia vem apenas uma semana depois da Fórmula 1 anunciar também a volta do GP de Portugal e no mesmo circuito. A prova marcará a volta da MotoGP ao país pela primeira vez desde 2012, com a prova no Estoril.

Essa será a primeira temporada da MotoGP sem provas fora da Europa desde 1986.

Fonte: Motorsport.com