DESTAQUES

24 de setembro de 2018
Gianluca Petecof encerra primeira temporada no Alemão de Fórmula 4 com quarto lugar em Hockenheim

Brasileiro da Academia Shell Racing chega a liderar no começo, é jogado para fora da pista mas se recupera; piloto fica em décimo no campeonato

O brasileiro Gianluca Petecof terminou sua primeira temporada na Fórmula 4 Alemã com uma quarta posição na última prova da rodada tripla de Hockenheim. Com isso, o piloto da Academia Shell Racing fechou a classificação geral em décimo, tendo ficado em terceiro no campeonato de estreantes.

Na prova deste domingo, Petecof manteve o segundo lugar após a largada e logo tentou um ataque em Leon Köhler. O brasileiro assumiu momentaneamente a liderança em duas oportunidades, na primeira e segunda voltas.

Ainda na segunda passagem, Charles Weerts se aproveitou da disputa para superar os dois, e espalhou Gianluca para fora da pista. O brasileiro perdeu velocidade e caiu para terceiro.

Na sequência, Petecof foi superado pelo campeão da temporada Liam Zendeli, que partiu para sua décima vitória na temporada. Já o brasileiro estabeleceu-se em quarto lugar, sem ser ameaçado pelos concorrentes.

A cinco minutos do fim, começou a chover, e a direção de prova mandou o safety car à pista por questões de segurança. A bandeira amarela permaneceu agitada até o fim, e Gianluca fechou a prova em quarto.

Terminada a temporada da F4 Alemã, Petecof ainda disputa pelo Prema Powerteam a última rodada tripla pelo Campeonato Italiano, nos dias 27 e 28 de outubro, no circuito de Mugello.

 

O que disse Gianluca Petecof:

“Sabíamos que o carro não seria tão forte neste fim de semana que encerrou minha primeira temporada na F4 Alemã. Apesar de ser a terceira etapa este ano, o carro nunca foi tão bom em Hockenheim. Foi uma pena o abandono na primeira corrida. Depois do toque na segunda curva após a largada, o que furou o meu pneu e me obrigou a abandonar. Na segunda prova, largando do fim do grid, fiz uma ótima corrida de recuperação, subindo de 16º para sétimo. Eu poderia ter batalhado mais para tentar chegar em quinto, mas sabia que com o sétimo lugar eu largaria na primeira fila na prova de domingo. Na corrida 3, como sabíamos que o desempenho do carro não era tão bom, a estratégia foi tentar assumir a ponta logo no começo e esperar o pessoal de trás começar a brigar para eu poder abrir uma distância. Mantive o segundio lugar na largada, depois fui para primeiro, houve uma troca de posição e eu voltei para a liderança, mas o melhor que pude fazer foi terminar na quarta colocação, o que foi uma ótima forma de acabar o campeonato, uma ótima posição dentro das nossas condições nesta pista. Fechamos o campeonato no top10 no geral e em terceiro nos estreantes, sei que pode ser melhor, sempre queremos mais, porém tivemos ótimos momentos e o ponto alto foi o pódio em Nürburgring. Agora o foco é total no fim do Italiano, em Mugello”

Classificação geral do campeonato:

1º L.Zendeli – 348 pontos
2º L.Lawson – 234
3º E.Fittipaldi – 223
4º F.Vesti – 211
10º G.Petecof – 92

Classificação dos estreantes:

1º D.Schumacher – 332 pontos
2º N.Krütten – 301
3º G.Petecof – 232
4º J.Alders – 202
5º L.Köhler – 196

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação