GERAL

14 de março de 2012
Fórmula Renault 3.5: André Negrão é o 8º em Paul Ricard

Piloto da Draco é o melhor brasileiro na abertura da pré-temporada

O holandês Robin Frijns, atual campeão europeu da Fórmula Renault, liderou a primeira sessão de testes de pré-temporada da Fórmula Renault 3.5. Vinte e seis pilotos participaram dos ensaios desta terça-feira no circuito francês de Paul Ricard – na verdade, mais uma avaliação inicial do novo carro da categoria – e o campineiro André Negrão, da International Draco Racing, foi o melhor entre os brasileiros, terminando na 8ª colocação. Os estreantes Lucas Foresti e Yann Cunha fecharam respectivamente na 22ª e 24ª posições. Os ensaios serão concluídos amanhã.

Como já era esperado, a parte da manhã foi truncada por uma série de problemas técnicos, quase todos associados à eletrônica do novo motor Renault V8. Apenas no período da tarde é que equipes e pilotos puderam aumentar a quilometragem e iniciar os trabalhos de acerto. Apesar das dificuldades iniciais, o recorde da categoria foi quebrado em cerca de três segundos. Mesmo completando apenas 12 voltas, André conseguiu imprimir um ritmo forte na segunda parte e estabeleceu a melhor parcial do setor 1. “Como ele ainda tem dois jogos de pneus novos, a tendência é que amanhã vá ainda mais para a frente”, explicou Guto Negrão, um dos proprietários da equipe.

Os pilotos começaram a avaliar a asa traseira móvel inspirada no modelo da Fórmula 1. Os sistemas, no entanto, são diferentes. Enquanto na Fórmula 1 a asa se abre quando acionada, na Fórmula Renault 3.5 ela se fecha. Produtos de uma geração que domina a tecnologia com espantosa facilidade, os jovens talentos – a média de idade é de 21 anos – não encontraram dificuldades com a utilização do DRS, que é acionado por meio de um botão no volante. “Só não dá para usar nas curvas de alta, porque fica muito perigoso”, afirmou André.

A previsão dos organizadores da Fórmula Renault 3.5 é que as velocidades aumentem ainda mais no segundo dia de treinos. Hoje, com temperaturas acima da média para a época do ano – a máxima chegou aos 24 graus – e sem a influência do conhecido vento Mistral que costuma soprar na região, a velocidade dos carros chegou aos 287 quilômetros por hora. Até então, a máxima da categoria em Paul Ricard era de 272 km/h. Guto acredita que o suíço Nico Muller, companheiro de equipe do filho André, também poderá sonhar com uma evolução na folha de tempos. “Ele ficou em 12º, mas sofreu uma pane eletrônica logo que colocou o primeiro jogo de pneus novos. É outro que vai andar mais rápido amanhã”, previu.

Os melhores do dia em Paul Ricard:

1 – Robin Frijns (Fortec Motorsport), 1min47s006
2 – Richie Stanaway (Lotus), 1min47s125
3 – Jules Bianchi (Tech 1 Racing), 1min47s252
4 – Alexander Rossi (Caterham), 1min47s302
5 – Carlos Huertas (Fortec Motorsport), 1min47s388
6 – Arthur Pic (DAMS), 1min47s445
7 – Kevin Magnussen (Carlin), 1min47s531
8 – André Negrão (International Draco Racing), 1min47s576
9 – Walter Grubmuller (P1 Motorsport), 1min47s757
10 – Marco Sorensen (Lotus), 1min47s757

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação