GERAL

2 de setembro de 2020
FIA anuncia revisão total do sistema de superlicença da F1 devido à pandemia

A proposta da Federação tem como objetivo evitar que pilotos em categorias de acesso tenham alguma desvantagem causada pela pandemia

A FIA anunciou nesta quarta (02), que irá iniciar uma revisão completa de seu sistema de pontos de superlicença usado na Fórmula 1 e demais campeonatos atualmente. A proposta da Federação é evitar que pilotos em categorias de acesso tenham algum tipo de desvantagem causada pela pandemia.

O sistema de pontos para a obtenção da superlicença foi introduzido em 2016 como parte de uma reestruturação da escalada nas categorias de monopostos até a F1.

Pilotos que desejam correr na F1 precisam coletar 40 pontos ao longo de três temporadas em diversos campeonatos, encorajando-os a subir entre os campeonatos de monopostos da FIA, para ganhar experiência.

Porém, como resultado da pandemia da Covid-19, muitas temporadas foram reduzidas, alteradas ou até mesmo canceladas. A situação também trouxe perguntas sobre o futuro das participações nos campeonatos, devido a cortes de gastos e uma potencial perda de patrocínios. Além disso, alguns campeonatos enfrentam suas próprias incertezas.

A FIA confirmou que irá conduzir uma revisão total do sistema atual, afirmando que quer “garantir que o sistema da superlicença, que determina o caminho das categorias de base até o pináculo dos campeonatos de monopostos, continue fornecendo aos competidores uma oportunidade justa e igual de progressão”.

“As medidas exploradas pelo Grupo de Trabalho da Superlicença da FIA, em consulta com uma grande variedade de equipes, organizadores e pilotos, também visa salvaguardar categorias potencialmente vulneráveis, encorajando a participação assim que as atividades sejam retomadas”, anunciou a FIA em um comunicado.

“Ela também irá lidar com disparidades no sistema que podem ser causadas por reinícios diferentes devido aos diversos níveis de ameaça da Covid-19 ao redor do mundo”.

A pandemia da Covid-19 lançou grandes desafios a campeonatos como a DTM, que foi atingida com a saída da Audi no final deste ano, enquanto a Indy Lights cancelou toda a temporada 2020.

Stefano Domenicali, presidente da Comissão de Monopostos da FIA, disse que o “profundo efeito” sentido pelo automobilismo durante a pandemia levou a essa revisão.

“Muitas categorias estão enfrentando dificuldades econômicas, enquanto os competidores estão naturalmente preocupados com a perda da temporada ou o comprometimento com uma competição em meio a incertezas, além do impacto negativo que isso pode ter em seu progresso entre as categorias”, disse.

“A FIA está ciente dessas preocupações e queremos reassegurar aos campeonatos, equipes e competidores que, através do Grupo de Trabalho da Superlicença, a Federação está desenvolvendo soluções que serão justas aos competidores, encorajando a participação e ajudando as categorias a manterem suas estabilidades durante esse período difícil”.

Nove vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans e Presidente da Comissão de Pilotos da FIA, Tom Kristensen disse que a revisão tem a intenção de lidar com as preocupações levantadas por muitos pilotos sobre os planos futuros e o impacto no sistema de pontos.

“Reconhecemos a preocupação dos pilotos sobre os calendários dos campeonatos e como a falta de balanço na pontuação em geral pode afetar seus progressos visando o pináculo dos campeonatos da FIA”.

“O Grupo está consultando com pessoas envolvidas na área para arrumar um balanço ao sistema de pontos, para que nenhum piloto saia na desvantagem pela situação atípica do esporte em 2020”.

Fonte: Motorsport.com