FOTO DO DIA

5 de julho de 2020
Felipe Drugovich lidera de ponta a ponta na corrida 2 na Áustria e vence em estreia na F2

Felipe Drugovich largou em primeiro e por lá ficou ao longo das 28 voltas da corrida 2 da F2 na Áustria.

O brasileiro evitou ataques de Louis Delétraz e foi ao alto do pódio logo em sua primeira aparição na categoria de acesso à F1

A estreia na Fórmula 2 costuma ser dura. O carro tem mais potência, assim como o grid se torna mais competitivo, o que leva a uma longa curva de aprendizado. Só que isso não parece se aplicar a Felipe Drugovich, que chegou com tudo: o brasileiro aproveitou o grid invertido da F2 para vencer a corrida 2 no Red Bull Ring, realizada neste domingo (5).

O brasileiro teve uma prova livre de erros. Drugovich foi cirúrgico nas relargadas, necessárias após três intervenções do safety-car. A grande ameaça, Louis Delétraz, não conseguiu aproveitar as chances para tirar o líder do sério. Dessa forma, Felipe abriu mais de 1s de vantagem, tirando o DRS do segundo colocado. Foi a chave final para sair vencedor.

“Foi perfeito”, disse Drugovich logo após a vitória. “Foi um pouco difícil também por causa das relargadas. Eu tentava abrir vantagem, mas aí ficava todo mundo junto de novo e eu tinha que abrir outra vez. Foi difícil, com muita pressão”, destacou.
“É ainda mais difícil aqui por causa do DRS. Você precisa sempre manter distância de 1s para que eles fiquem longe. É uma corrida curta, então você acelera em todas as voltas. Ontem não tivemos o resultado que queríamos, mas hoje eu estou muito orgulhoso da equipe. Nós arrumamos o carro e eu estou muito feliz”, seguiu.

Delétraz se contentou com um bom segundo lugar, isso enquanto Dan Ticktum surgiu em terceiro, conseguindo seu primeiro pódio na F2. Robert Shwartzman e Christian Lundgaard aparecem em quarto e quinto após atuações sem brilho. A zona de pontos ainda teve Nobuharu Matsushita, Mick Schumacher e Jack Aitken.

Para os outros dois brasileiros no grid, a corrida foi bem menos frutífera. Pedro Piquet até sonhou com pontos, mas cruzou a linha de chegada em 13°. Guilherme Samaia evitou problemas, mas não conseguiu mais do que um 15°.

Saiba como foi a corrida 2 da Fórmula 2
Felipe Drugovich fez bom uso da pole-position invertida, segurando a liderança após a largada. Louis Delétraz, que completava a primeira fila, também seguiu na mesma ao fim da primeira volta. Quem realmente conseguiu ganhar terreno foi Marcus Armstrong, que apareceu em terceiro e quase foi capaz de ultrapassar Delétraz.

Giuliano Alesi estava em quarto, mas a alegria foi breve. O francês teve problemas mecânicos e estacionou na beira da pista com um carro fumegante. Safety-car em ação, dando um tempo nas ultrapassagens. A ordem inicial era a seguinte: Drugovich, Delétraz, Armstrong, Ticktum, Shwartzman, Lundgaard, Matsushita e Schumacher.

Guanyu Zhou, que não venceu a corrida 1 por um problema mecânico, viu-se novamente com azar: para desviar de Ghiotto, teve de sair do traçado (Foto: Reprodução)
Quando a relargada ia acontecer, outro contratempo. Gelael teve problemas mecânicos e forçou mais duas voltas com o safety-car na pista. Na segunda volta em bandeira verde, um acidente: Zhou, Daruvala e Ghiotto se enroscaram na curva 3. O resultado foi o italiano atolado na brita e um terceiro safety-car em sete voltas.
Drugovich conseguiu manter tudo sob controle na relargada, na volta 11 de 28. Na 12, com pista livre, conseguiu anotar a volta mais rápida da prova. O brasileiro não disparava, mas usava a pista livre para manter distância confortável em relação a Delétraz.

Na volta 14, mais uma paralisação na prova. Armstrong teve problema mecânico na saída da primeira curva, ficando lento. O australiano tentou ir em frente por algum motivo, mas só conseguiu ficar parado no meio da pista. O resultado foi o mesmo de antes: safety-car, o terceiro do dia. Markelov, sem bico, veio aos boxes. Sato também, mas aparentemente só para pegar pneus macios.
O carro #15 livrava distância para Delétraz, que era atacado por Dan Ticktum (Foto: Reprodução/F2)
A relargada veio sem mudanças no pelotão dianteiro. Atrás, Pedro Piquet começava a mostrar alguma combatividade. O brasileiro subiu para 11°, o que permitia sonhar com pontos. Guilherme Samaia seguia distante, apenas em 16°.
Já estávamos na volta 20, com oito para o final, e a zona de pontos seguia calma. A única grande briga era entre Matsushita e Schumacher, com o alemão incapaz de tomar o sexto lugar das mãos do japonês. Na frente, Drugovich já tinha vantagem de 1s3 sobre Delétraz. Ou seja, não estava mais sujeito a ataques do suíço com DRS.

Isso permitiu que Drugovich mantivesse tudo sob controle. A vantagem cresceu para 2s nas voltas finais, garantindo a vitória do brasileiro.

1 F DRUGOVICH MP 28 voltas
2 L DELÉTRAZ Charouz +2.469
3 D TICKTUM DAMS +2.790
4 R SHWARTZMAN Prema +3.330
5 C LUNDGAARD ART +5.396
6 N MATSUSHITA MP +9.177
7 M SCHUMACHER Prema +9.741
8 J AITKEN Campos +14.041
9 C ILOTT UNI-Virtuosi +14.272
10 N MAZEPIN Hitech +15.395
11 Y TSUNODA Carlin +17.528
12 R NISSANY Tirdent +18.471
13 P PIQUET Charouz +19.118
14 G ZHOU UNI-Virtuosi +19.668
15 G SAMAIA Campos +22.082
16 J DARUVALA Carlin +24.290
17 M SATO Trident +24.909
18 A MARKELOV HWA +1 volta
19 M ARMSTRONG ART +15 voltas NC
20 L GHIOTTO Hitech +21 voltas NC
21 S GELAEL DAMS +25 voltas NC
22 G ALESI HWA +27 voltas NC

 

Texto e foto: Divulgação