GERAL

17 de outubro de 2017
Endurance: Senna vence no Japão e acirra luta pelo título

O pódio das 6 Horas de Fuji

 

 

Diferença para líderes volta a cair e definição fica para as duas últimas etapas da LMP2

 

Em condições climáticas terríveis, chuva e neblina densa que obrigaram a corrida a começar com safety car, provocaram diversos acidentes sérios e levaram a direção de prova a encerrar as 6 Horas de Fuji pouco depois de atingir 75% da distância total, Bruno Senna e os franceses Nicolas Prost e Julien Canal conquistaram neste domingo a segunda vitória na classe LMP2 do Campeonato Mundial de Endurance. “Foi talvez a corrida mais tensa e difícil da minha vida”, disse Bruno, que aproveitou o pódio para comemorar também o aniversário – completou 34 anos. Com os resultados, os pilotos da Rebellion Racing mantiveram a vice-liderança e reduziram para somente 10 pontos a diferença para o trio da Jackie Chan Racing, formado por Oliver Jarvis, Thomas Laurent e Ho-Pin Tung, terceiro colocados na etapa.

 

As previsões da meteorologia, que indicavam até a possibilidade de cancelamento da prova, quase que se confirmaram completamente. A prova começou com pista molhada e visibilidade reduzida, o que levou a direção de prova a determinar o regime de bandeira amarela em uma das curvas. “Em nenhum momento conseguimos ver a curva 1. Foi um desafio enorme completar a corrida”,  afirmou Bruno, que saiu na segunda colocação, passou à liderança logo no início e sobreviveu aos múltiplos choques – um deles envolvendo o segundo Oreca-Gibson da equipe, então nas mãos de Mathias Beche, que bateu forte mas nada sofreu.

 

Bruno percorreu uma maratona. Por causa do encurtamento da prova, Canal nem chegou a assumir o cockpit. “Fiquei três horas e meia pilotando. Foi muito cansativo e mentalmente exigente. Felizmente, consegui tomar a frente logo com a rodada do Nelsinho Piquet, que provocou um embaralhamento de posições atrás que nos ajudou. Tivemos de fazer um pit stop com bandeira verde, o que nos prejudicou bastante, mas felizmente recuperamos no segundo e deu para reprogramar a estratégia. Mesmo assim, demos sorte porque o ritmo do carro do André Negrão era melhor que o nosso e o encerramento prematuro nos beneficiou”, admitiu.

 

Com mais 25 pontos, Bruno e Canal passaram a somar 135 contra 145 dos líderes – Prost não tem mais chances de ser campeão porque não participou das 6 Horas de Nurburgring. Com isso, as 6 Horas de Xangai, no próximo dia 3 de novembro, ganharam ainda mais importância na definição do título, já que depois restará apenas a prova final no Bahrein. “Dez pontos não são tão poucos assim, mas se lembrarmos que já estivemos 46 atrás…”, lembrou Bruno. “E o importante é que continuamos crescendo e viemos descontando um pouco a cada prova.”

 

O pódio da LMP2 nas 6 Horas de Fuji:

 

1 – Bruno Senna, Nicolas Prost e Julien Canal, Oreca-Gibson, 110 voltas

2 – André Negrão, Nicolas Lapierre e Gustavo Menezes, Alpine-Gibson, a 1s389

3 – Oliver Jarvis, Ho-Pin Tung e Thomas Laurent, Oreca-Gibson, a 2s170

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação