DESTAQUES

11 de abril de 2018
APK planeja o futuro do kart paranaense

Wagner Ebrahim, vice e Alfredo Ibiapina, presidente da APK, os anfitriões da noite

 

 

Confraternização foi um marco na história do esporte, Associação filiou mais de 40 pilotos, mecânicos e fotógrafos

Mais de 80 pessoas, entre pilotos, mecânicos e fotógrafos participaram ontem (09.04) da Confraternização da Copa Super Paraná. O que eles não esperavam, é que estavam presentes em uma noite que marcaria para sempre o futuro do kart paranaense no Estado.

 

Plateia atenta, adesão foi intensa

Logo depois do bom papo, todos foram chamados ao auditório do evento, para uma prestação de contas da 1ª etapa da Copa Super Paraná. O assunto foi conduzido pelo presidente da APK – Associação Paranaense de Pilotos de Kart de Curitiba e Região Metropolitana,  Alfredo Ibiapina e pelo vice-presidente, Wagner Ebrahim. Todos os números foram apresentados e dessa matemática a dupla de dirigentes da Associação conduziu a reunião de forma a explicar a todos os presentes a necessidade de se filiarem à Associação.

 

O primeiro a se filiar foi o piloto Roberto Margeon

“Uma APK forte é nosso objetivo, unidos somos mais representativos, ganhamos voz até na CBA”, salientou Ibiapina, defendendo que é melhor investir em uma associação forte e ter um campeonato bem estruturado como já é a Copa Super Paraná, do que viajar para correr fora.  Argumentos em prol da filiação não faltaram, nem defesa do tema por pilotos mais experientes, como Manoel Queiroz, com trajetória vencedora no esporte, que chegou a dizer que apenas se filiar é pouco, “que cada um ainda tem que fazer mais um pouco pelo esporte”.

Ao final da reunião, depois de 1h30 de conversa produtiva, a adesão foi intensa. Rápido, o primeiro a se filiar foi Roberto Margeon, que comemorou com foto e sinal de “pole”. Outros 40 pilotos, mecânicos e fotógrafos assinaram sua ficha de filiação no local mesmo. Todos acreditando que daquela reunião nasce um novo momento do kart paranaense.

A partir de agora a APK vai procurar pessoalmente os pilotos que não estiveram presentes para apresentar o projeto, com intenção que também se filiem. “É necessário que todos acreditem, só assim podemos chegar aos 100 filiados e quem sabe até fundar nossa própria Liga”, salientou Wagner Ebrahim.

 

 

 

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação